11.14.2006

Parabéns - Cícero Franco

Todo o ano é a mesma coisa. O pessoal se reúne no meu aniversário em alguma churrascaria. Muita cerveja, muita conversa e, na sobremesa, alguém bate com a faca no copo. Aí começa a cantoria e eu começo a morrer de vergonha.

“Parabéns, parabéns
“Saúde e felicidade”

E fica o restaurante inteiro olhando para a nossa mesa sem entender o que a turma está cantando. O que será aquilo? Por que aquele monte de gente canta algo que ninguém mais sabe o que é?




“Parabéns, parabéns
“Saúde e felicidade”

A cantoria é divertida, mas me constrange. Por que na nossa turma não se canta o “Parabéns pra você”? O mundo inteiro canta assim, menos nós.

“Que tu colhas sempre todo o dia
“Paz e alegria na lavoura da amizade”

E todos cantam a plenos pulmões, como se fosse para todos ficarem sabendo que na nossa terra até o Parabéns é diferente.


“Que tu colhas sempre todo o dia
“Paz e alegria na lavoura da amizade”

Depois muitos aplausos, abraços e gritaria. Aí eu sempre me emociono e choro.



1 Comments:

Anonymous bel said...

Dear Cícero
Sinceramente, não entendi muito bem seu conto. Acho que vc escreve melhor do que está aí. A meu ver, faltou um pouco mais de envolvimento, alguma emoção... ou eu não saquei a idéia? achei meio irônico, mas poderia haver algo mais impactante, sei lá... enfim, que os demais se manifestem, vai ver o problema está na minha leitura. Bjk
Bel

1/12/06 20:52  

Postar um comentário

<< Home